Infraestrutura

– Sala 403 da Sede Acadêmica equipada com a infra-estrutura necessária para as atividades do projeto: sala de pesquisa e de estudo para alunos e professores, com a disponibilização de livros, revistas e recursos da mídia; local equipado com armários, bancadas e balcões para a guarda dos equipamentos e para a realização de exposições internas; instalação elétrica e hidráulica.

– Marcenaria da Unijuí: como apoio na produção e na adequação de trabalhos em madeira.

– Acervo: mais de cinqüenta experimentos em condições de serem utilizados nas exposições internas e externas e um telescópio para observações astronômicas.

– Veículo: o transporte dos experimentos para os locais das exposições.

– Material de divulgação: banners e faixa (fixados nos locais das exposições), folder e panfletos com a logomarca do projeto utilizados para a divulgação do projeto e das exposições.


Publicações: Produção Intelectual

Artigos em Revistas:

– AXT, R., BONADIMAN, H. A Simplicidade no laboratório de Física. Espaços da Escola. v. 4, n. 24: 19-24, abr/jun. 1997.

– AXT, R. e BONADIMAN, H. Um experimento contra-intuitivo. Caderno Catarinense de Ensino de Física. v. 17, n. 1: p. 27-32, abr. 2000.

– AXT, R., BONADIMAN, H., SILVEIRA, F. L. O uso de “espirais” de encadernação como molas. Revista Brasileira de Ensino de Física (RBEF). v. 27, n. 4: p. 593-599, out-dez 2005.

– BONADIMAN, H., NONENMACHER, S. E. B. O Gostar e o Aprender no Ensino de Física: Uma proposta Metodológica. In: Caderno Brasileiro de Ensino de Física – SBF: Sociedade Brasileira de Ensino de Física. V. 24, n. 2, agosto de 2007 p. 194 – 223.

Trabalhos em Eventos:

– AXT, R., BONADIMAN, H., SCHMIDT, P. A. O Uso de uma Espiral de Encadernação como Mola – Bons resultados a baixo custo. In: XVI SNEF – Simpósio Nacional de Ensino de Física, 2005, Rio de Janeiro – RJ. Programa e Resumos. Rio de Janeiro – RJ: Zit, 2005. p. 73-73. Trabalho completo em CD ROM.

– BONADIMAN, H., HALMENSCHLAGER, K. R., BASSO, M. H. M. A Física para Todos. In: IV Jornada de Extensão da Unijuí, 2003, Ijuí – RS. Liv. de Resumos. Ijuí – RS: Unijuí. p. 95-95.

– BONADIMAN, H., NONENMACHER, S. E. B. Uma Concepção Metodológica para o Ensino de Física. In: XV SNEF – Simpósio Nacional de Ensino de Física, 2003, Curitiba – Pr. Programa e Resumos. Curitiba – Pr: Imprensa Universitária da UFPR, 2003. p. 103-103. Trabalho completo em CD ROM.

– BONADIMAN, H., NONENMACHER, S. E. B. Ensino de Física: Uma Proposta Metodológica. In: IV ENPEC – Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Bauru, S.P, 25 a 29 de novembro de 2003. Em CD ROM.

– BONADIMAN, H., AXT, R., BASSO, M. H. M. A Física para Todos. In: I EREF – Encontro Regional de Ensino de Física, Unijuí, 2003. Ijuí – RS. Anais. Ijuí – RS: Unijuí, 2003. p. 112-113.

– BONADIMAN, H., HALMENSCHLAGER, K. R., BASSO, M. H. M. Difusão e Popularização da Ciência – Uma experiência em Física que deu certo. In: V Jornada de Extensão da Unijuí, 2004, Ijuí – RS. Livro de Resumos. Ijuí: – RS, Brasil: Unijuí, 2004. p. 58-58.

– BONADIMAN, H., BASSO, M. H. M., VINCENSI, G. Produção de Materiais Didáticos – Uma experiência em Física que deu certo. In: V Jornada de Extensão da Unijuí, 2004, Ijuí – RS. Livro de Resumos. Ijuí: – RS, Brasil: Unijuí, 2004. p. 58-58.

– BONADIMAN, H., AXT, R., BLÜMKE, R. A., VINCENSI, G. Difusão e popularização da Ciência – Uma experiência em Física que deu certo. In: XVI SNEF – Simpósio Nacional de Ensino de Física, 2005, Rio de Janeiro – RJ. Programa e Resumos. Rio de Janeiro – RJ: Zit, 2005. p. 125-125. Trabalho completo em CD ROM.

– BONADIMAN, H., BLÜMKE, R. A. Difusão e Popularização da Ciência: A Física sob outro olhar. In: VII Edição do Seminário Internacional de Educação. Ijuí: RS, Brasil, Colégio Evangélico Augusto Pestana, 2005. Em Pôster.

– BONADIMAN, H., AOZANE, J., SILVA, J. C da. Física para Todos. IN: Anais da VII Jornada de Extensão da Unijuí. Ijuí – RS: Unijuí, 2006. – Em CD ROM.

– BONADIMAN, H., AOZANE, J., SILVA, J. C . da. Exposição Interativa de Experimentos de Física. In: Anais da VII Jornada de Extensão da Unijuí. Ijuí – RS: Unijuí, 2006. – Em CD – ROM.

– BONADIMAN, H., AXT, R., FELDMANN, F. Física para todos. In: Programa de Melhoria e Expansão do Ensino Médio – Curso de Capacitação de Professores da Área da Ciência da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Ijuí, 27 de março a 26 de maio de 2006. Caderno pedagógico em CD ROM.

– BONADIMAN, H., AOZANE, J., SILVA, J. C. Difusão da Física – Relato de uma experiência. In: XVII SNEF – SIMPÓSIO NACIONAL DE ENSINO DE FÍSICA, 2007, São Luís – MA. São Luís: 2007, trabalho completo publicado em CD-ROM.

– BONADIMAN, H., AOZANE, J. Difusão e Popularização da Ciência: uma experiência em física. In: VII CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO POPULAR. PROMOVIDO PELO MOBREC – MOVIMENTO BRASILEIRO DE EDUCADORES CRISTÃOS, 2007, Santa Maria – RS. Santa Maria: Gráfica Universitária 2007, Anais, v. único, p. 46 – 46.

– BONADIMAN, H., AOZANE, J., SILVA, J. C. A Física é de todos: Relato de uma experiência. In: II EREF – ENCONTRO REGIONAL DE ENSINO DE FÍSICA, 2007, Ijuí – RS. Ijuí: Unijuí, 2007, trabalho completo publicado em CD-ROM.

Matérias em Jornal:

– BONADIMAN, H. A Física é coisa boa. Jornal da Manhã. Ijuí, RS: artigo publicado em 15 de março de 2005, p. 02.

– BONADIMAN, H. A Física é fascinante. Jornal da Manhã, Ijuí, RS: artigo publicado em 01 de maio 2007, p. 02.

Capítulo de Livro:

– BONADIMAN, H., AXT, R. Difusão e Popularização da Ciência – Uma experiência em Física que deu certo. In: BEDIN, G. A., LUCAS, D. C. (Org). Vários Olhares e Lugares da Extensão na Unijuí. Ijuí: Ed. Unijuí, 2005, p. 17-29 (Coleção trabalhos acadêmicos-científicos. Série relatórios de extensão).


Público Visitante

Um forte indício de que os objetivos do projeto estão sendo alcançados, é o expressivo número de visitantes que acorre ao museu itinerante. O que sempre se verifica é que, independentemente do local onde as exposições são realizadas, a afluência de público é sempre considerável.

São atendidos alunos – com visitas previamente agendadas -, pais de alunos e comunidade em geral. Em outros locais, o número de visitantes varia de acordo com a natureza e a duração do evento, chegando a 1000 pessoas durante cada dia de exposição dos experimentos.


Reflexos no Ensino

Desse trabalho de difusão e popularização da Física haverá reflexos não apenas no ensino praticado nas escolas, como também na qualidade do ensino nos cursos de graduação da Unijuí. Nesse sentido, é importante a participação e o engajamento, nas atividades do projeto, de docentes e de estudantes do Curso de Física, como já vem ocorrendo.

Além disso, esse trabalho de extensão deverá contribuir para construir uma imagem mais positiva da Física e, ainda, produzir e incorporar conhecimentos sobre o papel que a experimentação desempenha no ensino e sobre sua inserção metodológica em sala de aula.

Ao mostrar o lado fenomenológico desta ciência e o quanto ela pode estar ao alcance de todos, procura-se alertar a população sobre os problemas e desvios do ensino de Física praticado nas escolas e ensejar momentos de reflexão para a comunidade escolar e acadêmica.

A heterogeneidade do público visitante proporciona, à equipe executora do projeto, momentos de interação com pessoas de diferentes idades, graus de escolaridade e de diferentes profissões. Assim, esses são também momentos de aprendizagem recíproca, possibilitando a integração da linguagem dos saberes populares com a linguagem do conhecimento científico.


O Fascínio pela Física

O resultado mais expressivo e mais gratificante, para a equipe executora do projeto, é constatado na atitude das pessoas que visitam as exposições, pelo entusiasmo, pela motivação e pela curiosidade com que elas se manifestam ao interagir com os experimentos.

Embora o interesse por um ou por outro experimento varie de acordo com a idade, com o grau de escolaridade e até com a própria experiência de vida, fica evidente, através dos comentários e das reações do público visitante, que a Física tem um potencial muito grande para cativar e empolgar a todos. Nesse sentido, é comum ouvir das pessoas que visitam a exposição a seguinte questão: “por que a Física não é ensinada assim na escola?”

Um exemplo desse fascínio que a Física desperta nas pessoas é testemunhado pela freqüência com que as mesmas crianças e os mesmos adolescentes visitam a exposição. Após realizarem os experimentos e aprenderem a interagir com eles, saem do recinto e sem demora retornam, trazendo consigo amigos e colegas, quando não a família inteira. Aí é fácil perceber o quanto esses adolescentes se sentem orgulhosos e felizes por serem capazes de demonstrar e explicar aos outros o funcionamento dos experimentos apresentados.

Neste sentido, um dos resultados obtidos para a Unijuí, possível de ser quantificado, tem sido o interesse demonstrado e, posteriormente, a procura, de parte de alunos do ensino médio, pela licenciatura em Física e até de outros cursos da Unijuí. Esse dado origina-se em depoimentos de alunos e ex-alunos que afirmam terem sido influenciados, quando da opção pelo curso no vestibular, pelas exposições interativas de experimentos de Física.

Outra prova da boa aceitação do trabalho que vem sendo desenvolvido através do projeto “Física para todos” tem sido o número de convites recebidos para levar o museu itinerante em escolas e outros locais públicos, mesmo que as entidades promotoras tenham que assumir parte das despesas do evento.

Deixe uma resposta